Diogo Mateus Garmatz
O que fazemos em vida ecoa na eternidade
Capa Textos Fotos Perfil Livros à Venda Contato Links
Livros à Venda
A Soberania do Destino - Uma Busca Pelo Sentido da Vida
Autor: 
Diogo Mateus Garmatz
Editora:
Amazon
Ano:
2020
Páginas:
165
Tipo:
e-book
Preço:
R$ 1,99
Sinopse:
A questão do destino não vem dizer que estamos livres e soltos nesse mundo para fazer o que quisermos em uma existência acidental e casual, tampouco vem dizer que somos marionetes que devem fazer o que foram determinadas a fazer, sem nenhuma autonomia de agência. A questão do destino vem trazer uma razão para a existência, um sentido para a vida, vem arrancar a banalidade do existir e acender o estopim da busca pelo que viemos fazer aqui.
Convido-te agora a caminhar comigo pelas areias desta praia, onde uma brisa de transcendência e abstração nos toca o rosto e desarruma nossos cabelos, e a imensidão do mar dos mistérios da existência nos enche de espanto e fascínio. A essência do ser, a existência da verdade, os enigmas que envolvem o tempo, o drama da história da humanidade, a existência de Deus, os segredos do pensamento, enfim, toda questão que nos sirva de alicerce ou condução em nossa investigação terá nossa atenção e rigorosidade de pensamento.
Um dos princípios basilares desta obra é mantê-la acessível a todo e qualquer leitor que se interesse pelo assunto, concordando em gênero, número e grau com Ortega y Gasset quando ele diz que “a clareza é a cortesia do filósofo”. Embarcaremos em uma viagem por águas misteriosas, caçando as feras em seu estado selvagem, nos expondo aos mais terríveis perigos do pensamento, sem nos acovardarmos nem por um instante diante das questões mais inquietantes e perturbadoras da alma humana.
 
Fome e Sede de Justiça
Autor: 
Diogo Mateus Garmatz
Editora:
Amazon
Ano:
2021
Páginas:
136
Tipo:
e-book
Preço:
R$ 1,99
Sinopse:
Este livro apresenta um compêndio de artigos sobre o desenvolvimento do conceito de justiça ao longo dos séculos. É a presença dos pensamentos de alguns dos maiores filósofos de todos os tempos sobre o que é justiça que qualifica esta obra como uma significativa propedêutica à filosofia do Direito. O tom ensaístico com que as principais correntes filosóficas são articuladas com a perspectiva particularizada do autor confere ao escrito um caráter híbrido. As especulações registradas ao longo da história sobre o conceito de justiça são revisitadas passando pelo prisma da fala paradigmática de Jesus registrada no Evangelho de Mateus, que não só trata quem passa pela sinestesia de fome e sede de justiça como um bem-aventurado, mas arrazoa essa bem-aventurança em uma promessa de cunho escatológico: a fartura! Mas há ainda um outro motivo que faz com que a fartura prometida por Jesus seja tratada neste livro como um evento escatológico, é a insuficiência dos meios humanos para alcançar a justiça, e é aqui que reside a essência desta obra. Não é a insuficiência de meios para perseguir a justiça, esses meios sobejam; a insuficiência reside inexoravelmente em alcançá-la.Em um mundo que tem a injustiça como um aspecto intrínseco à sua constituição e estrutura, viver como um faminto é uma vida digna e virtuosa, viver com a língua apegada ao céu da boca devido à sede intensa é uma vida que vale a pena ser vivida.
 
Fome e Sede de Justiça
Autor: 
Diogo Mateus Garmatz
Editora:
RJR
Ano:
2021
Páginas:
186
I.S.B.N.:
9786589243113
Tipo:
impresso
Preço:
R$ 34,90
Sinopse:
Este livro apresenta um compêndio de artigos sobre o desenvolvimento do conceito de justiça ao longo dos séculos. É a presença dos pensamentos de alguns dos maiores filósofos de todos os tempos sobre o que é justiça que qualifica esta obra como uma significativa propedêutica à filosofia do Direito. O tom ensaístico com que as principais correntes filosóficas são articuladas com a perspectiva particularizada do autor confere ao escrito um caráter híbrido. As especulações registradas ao longo da história sobre o conceito de justiça são revisitadas passando pelo prisma da fala paradigmática de Jesus registrada no Evangelho de Mateus, que não só trata quem passa pela sinestesia de fome e sede de justiça como um bem-aventurado, mas arrazoa essa bem-aventurança em uma promessa de cunho escatológico: a fartura! Mas há ainda um outro motivo que faz com que a fartura prometida por Jesus seja tratada neste livro como um evento escatológico, é a insuficiência dos meios humanos para alcançar a justiça, e é aqui que reside a essência desta obra. Não é a insuficiência de meios para perseguir a justiça, esses meios sobejam; a insuficiência reside inexoravelmente em alcançá-la.Em um mundo que tem a injustiça como um aspecto intrínseco à sua constituição e estrutura, viver como um faminto é uma vida digna e virtuosa, viver com a língua apegada ao céu da boca devido à sede intensa é uma vida que vale a pena ser vivida.